VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO NESSA AVENTURA!

Paranapiacaba, uma viagem ao passado

Depois de muita pesquisa decidimos que iríamos passar o ano novo em Paranapiacaba. A escolha foi um pouco difícil, pois estávamos com pouca grana e desta vez também sem carro. Mas quem foi que disse que isso é motivo para não viajar?! Partindo deste princípio pesquisamos um lugar que não fosse muito longe e que fosse possível ir de ônibus ou de trem e ainda assim conseguíssemos conhecer muitos pontos turísticos sem depender de condução própria. Este lugar é Paranapiacaba-SP, uma vila criada pelos Ingleses no Séc. XIX durante a construção da via férrea até o porto de Santos.

paranapiaca-sp-foto-etrilhas

Pegamos um ônibus em São José dos Campos no dia 30/12/2011 por volta das 14:20hrs com destino a Santo André, o custo da passagem foi de R$26,41. A viagem foi um pouco cansativa porque passamos por várias cidades e chegamos no Terminal Rodoviário Pref. Saladino em Santo André às 17:40 hrs. Tivemos que esperar durante 25min. até chegar o ônibus da linha 040 com destino à Paranapiacaba, custo da passagem R$4,35. Depois de mais 1 hora e 20 min. de viagem num micro-ônibus tocando um sertanejão bem raiz, chegamos à Vila de Parapiacaba exatamente às 19:50 hrs.

A neblina tomava conta das ruas estreitas e sinuosas da vila, mas mesmo assim era possível ver a ferrovia e as casinhas de madeira, tudo muito antigo, rústico e padronizado, o que nos deu a impressão de ter voltado ao passado. Andamos um pouco, paramos num bar e um senhor, vestido bem a caráter, com grandes anéis nos dedos e óculos arredondados, veio nos receber. Ele assim, como a vila, também parecia ser de outra época.

Pedimos informação ao dono do bar e após alguma conversa ele nos indicou uma hospedagem na rua Fox, chegando lá a dona nos informou que ela tinha acabado de alugar o quarto para uma mulher, porém a irmã dela tinha um quarto que costumava alugar para turistas, assim conseguimos um quarto vago para dormir aquela noite, já que nossos planos eram de no dia seguinte conhecer algumas cachoeiras e no fim do dia ir para o camping Simplão de Tudo onde passaríamos a virada. A hospedagem nos custou R$30,00 por pessoa (é claro que demos uma choradinha para chegar a esse preço).

Tomamos aquele banho, jantamos e saímos para conhecer a cidade. As ruas estavam tomadas por uma forte neblina que juntamente com as casas e galpões antigos de madeira davam um aspecto sombrio pro momento, nos sentimos em um filme de terror do tipo Zé do Caixão (depois descobrimos que realmente um dos seus filmes foi gravado lá).

Cidade fantasma de Paranapiacaba - SP

Andamos por algumas ruas meio desertas e tiramos umas fotos, em seguida voltamos ao bar que parecia ser o único aberto naquela hora, novamente fomos recepcionados por aquele senhor, que também era músico e naquela noite tocou algumas canções (antigas é claro tudo em harmonia com o cenário), nos acomodamos, bebemos um pouco e rimos bastante da situação, até ali tudo parecia estar dando certo. Mais tarde voltamos para o nosso quarto alugado naquela casinha antiga de madeira, mas muito aconchegante e fomos dormir.

No dia seguinte 31/12/2011 acordamos lá pelas 8:30hrs arrumamos nossas coisas, saímos para tomar um café e decidir o que iríamos fazer, sabíamos que em Paranapiacaba existem varias cachoeiras e trilhas, então após tomar café no Bar da Zilda fomos atrás de um guia. Bem em frente ao bar existe um posto de informações turísticas (na fachada está escrito posto médico..rs) e foi lá que conhecemos o guia Léo. Ele nos falou das opções que tínhamos para aquele dia e nós decidimos fazer a trilha da Cachoeira da Fumaça, também nos explicou que para chegar à cachoeira passaríamos por uma trilha com áreas alagadas, muita lama e teríamos que atravessar por dentro de um pequeno rio e foi exatamente pelas características que optamos fazer esta trilha. Naquele momento uma turista se aproximou para pedir informações, conversa vai conversa vem, ela acabou aceitando fazer o passeio conosco, já que estava viajando sozinha. O passeio custou R$25,00 por pessoa.

Partimos em direção a Cachoeira da Fumaça ás 11:30hrs. Pegamos um circular que custou R$2,80 e após alguns minutos chegamos ao inicio da trilha onde nos deparamos com uma situação muito deselegante; algumas garrafas pet, lixo e até mesmo roupas e calçados que foram deixados no local. Na torre da rede elétrica existem vários tênis pendurados o que, segundo o guia nos contou, resultou no lamentável apelido de “Vale dos Tênis”. É triste, mas infelizmente alguns “turistas” não tem o menor senso do significado de Turismo Sustentável, e são exatamente essas pessoas que mais reclamam quando o local deixa de ser aberto ao publico e a visita passa a ser tarifada.

Mas, voltando à parte boa da historia… mal começamos a trilha e já tivemos que meter o pé na lama! Passamos por mata fechada, mata aberta, trechos estreitos e como já foi dito, muita mais muita lama e neblina.

Inicio da trilha  da Cachoeira da Fumaça em Paranapiacaba - SP

A primeira parada foi na Prainha, um pequeno lago com água limpa e esverdiada margeado por um banco de areia fina que nos convidou para um primeiro banho, fizemos um lanchinho e seguimos viagem.

Cachoeira Praianha na trilha para a Cachoeira da Fumaça

Apartir desse trecho a trilha seguia pela água em meio a muita neblina. Mais alguns minutos e chegamos na Cachoeira do Meio, com mais ou menos uns três metros em meio a muitas pedras onde foi possível entrar enbaixo da queda d’água e renovar a energia para seguir em frente. Então continuamos caminhando até um mirante e o guia nos descreveu o que era possível avistar dali, mas ficamos só na imaginação pois infelizmente por causa do mal tempo só vimos a neblina mesmo. Sem demora seguimos adiante, atravessamos o rio varias vezes, havia muita neblina e em alguns momentos chovia, o que para muitos pode parecer trágico, mas para nós que vivenciamos essa situação inusitada isso não atrapalhou em nada, é difícil de explicar, mas estava tudo perfeito, a chuva, a neblina as cachoeiras enfim, tudo estava combinando harmoniosamente bem.

Cachoeira do Meio em Paranapiacaba - SP Muita neblina na trilha da Cachoeira da Fumaça em Paranapiacaba - SP

Então finalmente chegamos à Cachoeira da Fumaça, um lugar muito bonito com uma enorme queda d’água, paramos para descansar e conversar um pouco, Léo o nosso guia como sempre muito prestativo nos contou algumas histórias sobre Paranapiacaba, batemos um papo e durante a conversa descobrimos que a moça que nos acompanhou na trilha era a mesma que havia alugado o quarto que o dono do bar tinha nos indicado na noite anterior (muito legal quando acontecem essas coincidências rs).

                               Vista do Topo da cachoeira da Fumaça em Paranapiacaba - SP

Na volta ainda passamos por mais uma cachoeira, a Cachoeira do Ofurô, suas águas cristalinas proporcionam uma deliciosa hidromassagem natural, é claro que nós não resistimos. O retorno foi rápido e tranquilo, como de costume já fizemos tudo que queríamos na ida para que pudéssemos apertar um pouco mais o passo na volta.

De volta ao inicio da trilha seguimos até o ponto onde pegamos o ônibus para a vila de Paranapiacaba chegando lá as 17:30hrs. Estávamos famintos e molhados.

De repente a chuva começou a ficar mais forte e o nosso guia e agora amigo Léo, nos levou ao restaurante onde ele havia pedido para guardar nossas mochilas para que pudéssemos fazer a trilha sem peso extra. Lá almoçamos e fizemos amizade com Beto e a Vera, um casal muito simpático que nos recebeu super bem em seu restaurante. Neste momento nos deparamos com um dilema: seguir para o camping Simplão de Tudo ou encontrar um lugar para nos hospedar na vila. Estava ficando tarde, e chovia muito, não dava para ir até o camping a pé porque iria molhar nossas coisas, por isso teríamos que encontrar alguém que nos levasse de carro. Beto o dono do restaurante entrou em contato com outros moradores que pudessem nos ajudar, até que encontrou uma amiga que topou nos levar. Em alguns minutos ela chegou no restaurante com a triste noticia de que havia repensado e por causa das as condições do tempo e da estrada, não ia mais nos levar. Mas ela não nos deixou na mão e disse que nós poderíamos acampar em seu quintal, foi isso que fizemos naquela noite.

Bar em Paranapiacaba

Depois de montar as barracas enbaixo de chuva, tomamos um banho e como ainda era 8:30hrs descansamos um pouco até a hora da virada, por volta de 23:40hrs, ainda de baixo de chuva, fomos ao mesmo barzinho, onde o mesmo tiozinho estava tocando as mesmas canções, desta vez o bar estava mais cheio e como o ambiente estava muito agradável lá ficamos até umas 2:00 da madruga “do ano seguinte rs”.

No dia seguinte acordamos as 8:30hrs, arrumamos nossas coisas e como o tempo estava para chuva decidimos que voltaríamos para casa, mas antes demos uma ultima volta pela vila e tiramos mais algumas fotos. Tentamos encontrar um lugar onde poderíamos chegar mais perto da torre do relógio (quase uma replica do big ben de Londres) e acabamos encontrando mais vagões de trens também muito antigos e enferrujados, entre eles a Maria Fumaça mais antiga do Brasil.

Trem abandonado na estação em Paranapiacaba - SP Estação de trem em Paranapiacaba - SP

Demos uma passada no Museu Castelinho que infelizmente estava fechado então decidimos que era chegada a hora de partir, caminhamos até o ponto e iniciamos nossa jornada de volta para casa. Com a certeza de que essa viagem valeu a pena e a promessa de que um dia voltaremos, pois ainda há muito o que conhecer em Paranapiacaba.

Entrada do museo Castelinho em Paranapiacaba - SP

Uma coisa que gostaríamos de deixar bem claro é que, antes da viagem pesquisamos sobre a vila e encontramos diversos relatos sobre assaltos a turistas em Paranapiacaba e ficamos um pouco com o pé atrás, mesmo assim decidimos ir e o que vimos na realidade foi um lugar muito tranqüilo e organizado, segundo o guia que nos acompanhou, estes casos de assaltos ocorriam sim, mas no passado, hoje como existe um controle maior de turismo e sendo que é obrigatório o acompanhamento de um guia local, a muito tempo não se ouve falar nisso.
Vale lembrar é claro que a vila é um ponto turístico e vem pessoas de todo lugar e não se sabe da intenção de cada um, por isso não é bom abusar.

Como para nós foi tudo tranqüilo, não temos o que reclamar de Paranapiacaba, apenas temos que agradecer aos moradores que nos receberam muito bem e nos ajudaram muito.

41 Comentários para Paranapiacaba, uma viagem ao passado

  • Monique Ribeiro (@MoniqueRibeiro) says:

    Oi pessoal, bem bacana o relato de vocês sobre Paranapiacaba. Muita gente nem imagina que tem uma cidade como essa tão pertinho de SP não é mesmo!?

    Beijoos

    • Djalma Toledo says:

      É Monique, realmente precisamos explorar melhor nossa região. Também nos surpreendemos com Paranapiacaba, uma vila tão bela que esconde muitas histórias. Já haviamos nos surpreendido com as belezas do estado de São Paulo quando conhecemos o PETAR, um lugar que esconde a maior concentração de cavernas do Brasil.

      Precisamos olha mais para nosso próprio quintal!

      Obrigado pelo comentária.

      Boas Aventuras!

      • debora says:

        realmente parapiacaba é muito bela e maravilhosa e tem seus contos por isso ser também uma cidade histórica certo !!

        bom, eu moro em rio grande da serra uma cidade muito proxima de paranapiacaba que obviamente eu sempre estou indo por la e tal eu recomendo fazer a trilha para o mirante é muito linda vista mais e otimo para namorar pra quem curte …. tem o lyra que tem umas historias eu recomendo dar uma olhada na historia do bar do lyra e do castelinho não sei se vc chegou a ir la no casteklinho é uma das mais luxuosas casas de parana e eu recomendo vc voltar por aqui que é muiiiito bom mesmo e fazer todas as trilhas e eu simplesmente recomendo mesmo vc passear pelo poço das moças claro tem umas historias atras dessa cachoeira mas é maravilhoso la ,,,

  • rivoneide says:

    oi mto legal o relato, tenho muita vontade de conhecer Paranapiacaba, agora ficou mais fácil já que dependo de ônibus. Valeu pela dica.

    • Djalma Toledo says:

      Olá Rivoneide!

      Existe um trêm que parte da estação da Luz em São Paulo para Paranapiacaba, ainda não fizemos esse percurso mas deve ser muito legal.

      Obrigado pelo seu comentário.

      Boas aventuras!

  • Bruna says:

    Olá!!
    Vocês têm o contato do guia Léo ou do local onde o encontraram?!
    Não tinha ido ainda com uma amiga de SP, pois o que encontramos dizia das trilhas em número mínimo de 7 pessoas!
    Valeu a matéria!

  • ISABELA KAZUE says:

    Olá. Estávamos vendo seu site, e achamos uma beleza.Paranapiacaba é uma vila encantadora, parabéns aposto que você mora lá.

  • Felipe says:

    Quero ir sozinho pra tirar umas fotos, é perigoso ?

    • Djalma Toledo says:

      É super tranquilo ir sozinho. Mas se for fazer trilha recomendo que contrate um guia, as trilhas são bem fechadas e o clima sempre muda na região.

      Abraço,

      Boa Aventura!

    • debora says:

      é trnquilo agora mais se for sozinho é bom um guia pois vc nao conheçe o local é perigoso se perder mais se conheçer o lugar é de boa ir sozinho mas nao necessariamente precisa de um guia

  • Steffany says:

    Muito legal,paranapiacaba é mesmo muito legal,é um bom lugar pra se fazer uma viagem!

  • Carlos says:

    Eu mesmo fui muitas vezes a Paranapiacaba, final dos anos 70, até meados dos anos 80, sempre acampávamos sozinhos e em qualquer lugar no meio da mata, próximo à cachoeiras, da fumaça, das 3 moças (acho que era este o nome), sem o “turismo organizado” de agora. Em fim uma boa época, acredito, melhor que agora.

    • Djalma says:

      Olá Carlos,

      O ruim do acampamento selvagem é que muitas pessoas não tem a consciência e pode causa um impacto muito grande na natureza ou até mesmo causar um problema para si próprio. Como o turismo cresceu muito em Paranapiacaba é de extrema importância que exista uma organização para cuidar e ter um controle para que o turismo não acabe com o lugar.

      Obrigado pelo seu comentário.

      Boa Aventura!

  • Artur Francisco says:

    Gente eu moro na zona sul de sp Taboao da Serra .. tenho muito interesse em fazer um viajem a paranapiacaba … mas gostaria de saber c tem alguma linha de onibus que vai ate la .. ou metroo ? ou seja algum meio de chegar lá.

    desde ja muito obrigado

    • Djalma Toledo says:

      Olá Artur,

      Quando eu fui, peguei um ônibus até Santo Andre e um micro ônibus até Paranapiacaba. Tem também um trem que sai da estação da Luz em São Paulo. Ônibus direto pra lá você não vai encontrar, você deve ir até Santo Andre mesmo.

      Espero que tenha ajudado.

      Boa Aventura!!!

    • debora says:

      tem um expresso turistico em que o passageiro tem a opção de embarcar às 8h30 na Estação da Luz ou às 9h00 na Estação Prefeito Celso Daniel-Santo André (Linha 10-Turquesa, da CPTM). O retorno ocorre às 16h30 em Paranapiacaba, com parada na Estação Prefeito Celso Daniel-Santo André.

    • debora says:

      mais tambem tem a linha de onibus também ,,, rigras

  • Artur Francisco says:

    o trem da estação da luz eu vi so que pra este ano nao tem mais vagas , onde consigo pegar um onibus pra santo andre ? nao tem metro para santo andre ?
    é que estou a oito meses em sao paulo e nao conheço muito bem o meio de transporte publico ainda aqui. rsrs
    desde ja muito obrigado

    • Vinícius says:

      Artur da estação de trem do Brás sai um trem que vai até a estação do Rio Grande da Serra, que tem um ônibus que vai para Paranapiacaba. O ônibus custa 2,95 e sai a cada 30 minutos. O trajeto não demora muito.

    • debora says:

      artur tem um expresso turistico que sai da estação do brás até paranapiacaba mais é só fim de semana domingo para ser mais exata O passageiro tem a opção de embarcar às 8h30 na Estação da Luz ou às 9h00 na Estação Prefeito Celso Daniel-Santo André (Linha 10-Turquesa, da CPTM). O retorno ocorre às 16h30 em Paranapiacaba, com parada na Estação Prefeito Celso Daniel-Santo André.

  • Aline says:

    Fui para Paranapiacaba duas vezes, na primeira fiz uma trilha de 7 horas, chegando no Poço das Moças, estava num grupo com 27 pessoas…fomos rendidos por 5 bandidos e ficamos sob o poder dos mesmos por 1 hora, um terror. Na segunda, optei por me hospedar no Simplao de Tudo, o sitio fica num local extremamente isolado, na ida fomos abordados pela policia que nos revistou apos falarmos que íamos pra lá…chegando no local, entendi. Um alto numero de jovens usuários de drogas, acabei vendo de tudo…além das péssimas condições do lugar…

    Apesar desta má sorte, não posso negar que Paranapiacaba é fascinante…

    • debora says:

      bom la nao tem tantos usuarios la os moradores são muito tranquilos e o poço das moças realmente é fascinante mais é bem legal acampar por la se vc curte relatos de fantasmas ,,, mas eu também recomendo vc ir no mirantão e no poço formoso sem contar na pontinha que é otimo lugar para fazer um biquinique

  • giovanna says:

    olá, gostaria de saber se lá existem lojas turisticas e se de carro e facil de achar?! obrigada

    • Djalma Toledo says:

      Olá Giovana,

      Acho bem fácil chegar de carro até Paranapiacaba, chegando em Santro André é só se informar e seguir as placas. Existem poucas lojas túristica na região, Paranapiacaba é um lugar bem tranquilo, ideal para conhecer a história do local e entrar em contato com a natureza.

      Abraço e boa aventura.

    • debora says:

      muito facil de carro ,,, e la nao tem muitas lojas turisticas mas vc pode apreciar bem a gastronomia e a musica nos festivais que tem na cidade é só se informar no site da cidade de santo andré ,,, mais nos festival eu recomendo ir de onibus

  • debora says:

    paranapiacaba é lugar excelente de se acampar e passear e tal mais eu recomendo vocês irem no festival do cambuci que agora é só ano que vem ,,, e no festival de inverno que vai ser em julho em época de férias ,,, é muito boa as gastronomias é também tem uma senhora que vende a melhor trufa que eu ja comi … muito boa mesmo eu sempre estou indo por la as trilhas são tranquilas de fazer mais para quem nao conheçe é bom um guia …

    abraços debora

    ps: festval do cambuci também em rio grande da serra este mÊs 18, 19 e 20 de maio

  • Sonia says:

    Adorei seu relato, eu e minha familia queremos muito conhecer esse lugar, gostaria de saber de vc, se dá p levar crianças.

    • Djalma says:

      Olá Sonia,

      Paranapiaca é um lugar bem tranquilo pra curtir com a Família, só tenta reservar sua hospedagem por que em temporada costuma ficar lotada a cidade e o camping do simplão fica um pouco longe da cidade.

      Bom passeio!

  • Cristina Cipelli says:

    Nossa,adorei o relato de vcs…há tempos estou querendo ir para Paranapiacaba…desse ser muito bom voltar no passado.

  • Débora says:

    Gostaria do telefone do Léo por favor o monitor

  • Valèria Alves de jesus Silva says:

    Muito bom conhecer sua història,já tinha vontade de conhecer a cidade, agora não vjo a hora de ir logo! Brigado pelas dicas

  • Pingback: 6 Dicas de Dia dos Namorados para fugir da Copa do Mundo #naovaitercopa

  • Elisangela says:

    Bom dia.

    Estou procurando um guia pra fazer essa trilha. Vi nos seus relatos que o Leo quem acompanhou vocês. Por acaso é possivel passar o contato?

    Obrigada.
    Paranapiacaba é show!! Já fiz a trilha da cachoeira escondida e quero muito voltar para fazer a da fumaça.

    • Djalma Toledo says:

      Olá Elisangela,

      Já faz um tempo que fomos para Paranapiacaba, não sei se o telefone do guia Leo continua o mesmo mas pode tentar ligar.

      Léo Alves é 65868526 Claro / 88094764 Claro ou 64891212 Vivo.

      Espero ter ajudado e obrigado pelo seu comentário.

      Boas aventuras!

  • davidson dos santos ozuna says:

    Paranapiacaba vai continuar sendo uma cidade muito misteriosa e a sua beleza com estilo inglês é o seu charme

  • Bruno Lopes Chbane Bosso says:

    Eu, minha companheira e amigos estamos planejando ir à Cachoeira da Fumaça esse Sábado. O trajeto de trilha é possivel ser feito sem guia? É muito perigoso? Ou é melhor pagar 20, 30 reais por pessoa num grupo grande de amigos c com um guia ?

  • kauane says:

    e verdade q muita gente q já fez trilhas la acabaram morrendo

  • Ramon says:

    Bom site. Grato.

  • Eduardo B. Ferrreira says:

    olá, gostaria de saber locais para fazer passeios de Bike etrilhas, alguém tem alguma sugestão?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *