VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO NESSA AVENTURA!

PETAR – Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira – SP

Entrada da Caverna Ouro Preto - Petar

O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) foi criado em 1958, ocupa uma área de 35.719 hectares sendo a maior porção de Mata Atlântica preservada do Brasil e está localizado no estado de São Paulo, entre as cidades de Iporanga e Apiaí. No PETAR existem cerca de 350 cavernas, porém, por motivos de segurança e preservação, apenas 12 estão liberadas para prática do turismo. Além das cavernas existem também mais de 20 cachoeiras com água cristalina, quedas d’agua com mais de 50 metros de altura e poços ideais para um delicioso e refrescante “banho gelado”.

O que fazer

O PETAR está dividido em quatro núcleos para facilitar o controle e a fiscalização dos visitantes. Cada um dos nucleos com portaria e boa infraestrutura para receber os turistas. Os núcleos são: Santana, Ouro Grosso, Caboclos e Casa de Pedra.

Núcleo Santana

Localizado no Bairro da Serra é o núcleo mais visitado do parque, por ser o de mais fácil acesso, e um dos que possue o maior número de atrativos. São eles:

Caverna da Água Suja:
Faz parte do roteiro Trilha do Betari, em alguns pontos da trilha é preciso passar por dentro do rio Betari. São 40 minutos de caminhada de nível médio até chegar a entrada e dentro da caverna em média mais 2 horas de caminhada de nível médio. Durante o passeio no interior da caverna, caminha-se por dentro da água que em alguns pontos chega a altura da cintura, e é preciso desviar de estalactites gigantes que quase tocam a água. A Caverna da Água Suja possue 1.800 metros de extenção sendo 800 metros destinados ao turismo porém, estão para liberar mais uma parte do percurso para visitação.

Caverna de Santana:
É a caverna considerada a mais bonita do PETAR. Caminha-se durante 5 minutos por trilha de nível fácil até a entrada e dentro da caverna são em média 2 horas de passeio por uma trilha de nível fácil. Existe um rio que passa por dentro da caverna, mas não é preciso passar por dentro dele. Passando por passarelas de pedra e pontes de madeira, os caminhos dentro da Caverna de Santana nos levam a bellissímos salões como o Salão das Flores, e algumas formações curiosas como a “Pata de Elefante” e a “Cabeça de Cavalo” e não podemos deixar de citar também o “Buraco do Segredo”, ”Porta Retrato”, e a imagem perfeita de uma personalidade mundialmente conhecida, que só vai saber quem é aquele que visitar o Parque. A caverna tem 7 km de extenção dos quais 800 metros estão abertos aos visitantes.

Caverna do Morro Preto:
A Caverna do Morro Preto possue um dos pórticos mais belos de todo o PETAR, o qual é possivel admirar de um mirante dentro da caverna. A luz externa juntamente com as formações rochosas de dentro da caverna formam uma paisagem incrível que é cartão postal do local. Mais uma curiosidade é o “Camelo de Pedra”, uma rocha muito semelhante a este animal na qual é possivel subir em cima para tirar fotos. Até a entrada da caverna são 15 minutos por trilha de nível médio e dentro dela o passeio dura por volta de 1 hora.

Caverna do Couto:
Localizada próximo a Caverna do Morro Preto, a Caverna do Couto é praticamente um túnel que atravessa uma montanha por dentro, de um lado para o outro. A caverna também serve como conduto para um rio, que vem da Serra da Onça Parda, e que após atravessar a caverna desagua em uma pequena cascata formando a Cachoeira do Couto. São 5 minutos até chegar na entrada e em média 1 hora de caminhada em seu interior.

Caverna do Cafezal:
A Caverna do Cafezal, assim como a caverna da Água Suja, também faz parte da Trilha do Betari. Está caverna possue salões enormes e formações especiais que permitem ao monitor dar uma verdadeira aula sobre as cavernas. O percurso até a entrada da caverna dura em média 1 hora e meia e o passeio no seu interior por volta de 1 hora.

Cachoeira das Andorinhas:
Com 45 metros de altura a Cachoeira das Andorinhas é considerada pela maioria a cachoeira mais bonita do PETAR. No local exite uma piscina natural, entre os paredões de pedra, ótima para nadar e recuperar o folego, já que para se chegar até ela é preciso caminhar aproximadamente 3 horas pela Trilha do Betari. Atravessando a piscina é possível ficar em um banco de areia que está mais perto da queda d’agua, local onde os visitantes ficam admirando tamanha beleza natural.

Cachoeira do Beija Flor (Betarizinho):
Fica a uns 100 metros à frente da Cachoeira das Andorinhas e marca o ponto final da Trilha do Betari. Possue 30 metros de queda d’agua e é rodeada por pedras muito escorregadias. A posição das pedras formam uma deliciosa hidromassagem natural que vale a pena conferir. Para chegar até esta cachoeira é preciso caminhar cerca de 3 horas por trilha de nível médio

Cachoeira do Couto:
As águas que formam esta cachoeira vem da Caverna do Couto, ela não é muito alta porém é muito bonita. A água cai direto num poço de cor azulada onde todos querem tirar fotos e nadar um pouco. São apenas 5 minutos de caminhada por trilha de nível fácil para se chegar até a Cachoeira do Couto.

Núcleo Ouro Grosso

O acesso ao Núcleo Ouro Grosso também é feito pelo Bairro da Serra. Neste núcleo os passeios exigem um pouco mais de fôlego e coragem.

Caverna do Ouro Grosso:
A Caverna Ouro Grosso é uma das cavernas do PETAR com o acesso um pouco mais difícil sendo que em alguns trechos é preciso se arrastar por pequenas fendas entre as rochas para seguir caminho. Para se chegar até está caverna caminha-se por uma trilha de nível fácil por cerca de 15 minutos. O interessante é que no meio do caminho é preciso passar por dentro do tronco de uma árvore gigante. Sua entrada é bem estreita, precisando se arrastar no chão para conseguir entrar. Já no interior da caverna a caminhada dura 2 horas e é considerada de nível difícil. São 200 metros abertos para visitação e no final deste percurso existe uma pequena cachoeira que deságua em um pequeno poço, onde o mais corajosos podem entrar e sentir o quão gelada é a água da cachoeira dentro de uma caverna.

Caverna do Alambari de Baixo:
Com certeza a Caverna do Alambari de Baixo proporciona o passeio mais radical e inesquecivel do PETAR. São aproximadamente 40 minutos de caminhada de nivel fácil com muitas subidas e descidas até se chegar á caverna. Sua entrada é bem grande e logo quando se entra começa-se a descer pelas pedras até chegar a água e algum tempo depois é preciso se abaixar na água porque a passagem é bem estreita e baixa. Caminhando mais um pouco chegamos na parte mais difícil do passeio, onde é preciso passar por dentro d’água num trecho onde não dá pé e a água pode ultrapassar a altura do pescoço. Existe uma corda que da auxílio na hora da travessia facilitando a passagem e em seguida o visitante sobe pelas pedras e já está do lado de fora da caverna só que do outro lado dela. Alguns minutos para recuperar o folego e é hora de enfrentar tudo de novo no caminho de volta. A caminhada interna é de nivel médio e tem a duração de 2 horas.

Núcleo Caboclos

Núcleo Casa de Pedra

O principal atrativo do Núcleo Casa de Pedra é a Caverna Casa de Pedra que consta no guiness book (livro dos records) como o maior pórtico de caverna do mundo com 215 metros de altura. A visita limita-se a entrada da caverna, pois a entrada não é permitida, mas é suficiente para fazer valer a pena as 4 horas de caminhada de nível difícil.
Também fazem parte deste núcleo a Caverna Castelo e o Canyon Castelo, que também vale a pena conferir de perto.

Como chegar

São duas as opções para chegar até o PETAR, por Apiaí ou Iporanga. Partindo de São Paulo seguindo pela Resgis Bitencourt são 330km cerca de 4 horas e meia de viagem, passando por Registro e Eldorado.

Para quem é da regiãode de Sorocaba o melhor caminho é seguir sentido Itapetininga e descer até Apiaí pela Rod. Sebastião Ferraz de Camargo Penteado, cerca de 250 km e 3 horas e meia até chegar em Apiaí.


Exibir mapa ampliado

Opções

QUEM LEVA

A Agência PETAR PONTO SUL tem tudo para facilitar o seu passeio. Coletes, lanternas, pilhas, capacetes e o guia, pois sem ele não é permitido a visitação no parque. Os guias da Petar Ponto Sul são moradores locais que conhecem como ninguém cada canto do Petar, além de muitas histórias, o que torna sua viagem ainda mais completa e interessante. A agência também oferece pacotes alternativos como boia cross, rapel, cachoeiras e passeios fora do parque.
É só falar com Valdemir dos Santos, mais conhecido como “Peixe”, que ele ajudara você a curtir ao máximo sua viagem.

Visite o blog: petarpontosul.blogspot.com
Contatos:
tel.: (015) 3552 1163
cel.: (015) 9743-1643 – 9630-2260
e-mail: peixepetar@yahoo.com.br

ONDE FICAR

O CAMPING DO BENJAMIM é administrado pelo Sr. Benjamim, uma figura simpatissíssima que cuida muito bem do local. O camping tem ótima infraestrutura, banheiros masculinos e femininos, todos com água quente, espaço para cozinhar, muita paz e tranquilidade na hora de descansar e recuperar as energias após um dia cheio de aventuras.
O Camping do Benjamim está localizado no Bairro da Serra na estrada que da acesso ao Núcleo Ouro Grosso. Também está bem perto do Núcleo Santana.

Conheça um pouco mais sobre o Camping do Benjamim no site: www.campingdobenjamim.com.br

Contatos:
tel.: (15) 3556-1510
e-mail: reserva@campingdobenjamim.com.br

ONDE COMER

Uma boa opção na hora das refeições é a POUSADA DO ABÍLIO, que literalmente abriu as portas da sua casa para atender os turistas. Comida boa e barata, não deixe de esperimentar.
A Pousada do Abílio está localizada no Bairro da Serra.

Contato:
tel.: (15) 3556 1405

* A cidade tamém oferece outras opções além das citadas acima.

Dicas

Se for visitar os Núcleos Santana e/ou Ouro Grosso que ficam no Bairro da Serra, abasteça o carro no centro da cidade em Iporanga ou Apiaí, porque lá não tem posto.

Use roupas leves, camisetas dry-fit e calças de tactel pois elas secam mais rápido.

O ideal é levar dois calçados, porque o que você usar nas trilhas com certeza vai molhar durante o passeio na caverna.

Tome um café da manhã reforçado antes de sair para os passeios e leve um lanche para comer na trilha, pois as caminhadas duram praticamente o dia todo.

Informações úteis sobre o PETAR:

O Parque fica aberto à visitação de terça a domingo, das 08:00 às 17:00 horas. As visitas ao Parque são obrigatoriamente feitas com o acompanhamento de um monitor (guia), e cada monitor leva grupos formados por no máximo 8 pessoas. Os visitantes devem trajar obrigatoriamente camisetas com manga (curta ou comprida) de forma que proteja os ombros, calça e calçado fechado, além de capacete e lanterna. Pessoas usando regata, bermuda e chinelo NÃO poderam realizar os passeios.

É preciso pagar a entrada em cada um dos núcleos de visitação. O ingresso de visitação do Petar custa R$5,00 por pessoa e devera ser pago em dinheiro (cartões, cheques ou outra moeda não são aceitos). Estão isentos da taxa de entrada apenas crianças menores de 5 anos, pessoas com mais de 60 e portadores de necessidades especiais.

Videos

Sua história

Nome *

E-mail *

Lugar(es) que visitou *

Enviar foto

Sua história *